Joe Biden

Foto do autor

joao

Publicado em

Em meio a crescentes preocupações sobre a possibilidade de inadimplência no início de junho, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e Kevin McCarthy, o representante do líder da maioria na Câmara, chegaram a um “acordo preliminar” . Para assim elevar o limite da enorme dívida governamental de vários trilhões de dólares.

Segundo um relatório da Reuters datado de 28 de maio e baseado em informações de duas fontes familiarizadas com as negociações.

Desde a publicação do relatório, Biden confirmou através do Twitter a existência de um “acordo preliminar”,. Assim explicando que isso evitaria um “calote catastrófico” nos Estados Unidos.

Biden mencionou que no dia seguinte o acordo seria apresentado tanto à Câmara dos Deputados quanto ao Senado dos Estados Unidos.  Contudo Ele instou ambas as câmaras a “aprovar o acordo imediatamente”.

Uma fonte familiarizada com o acordo afirmou que os negociadores concordaram em limitar os gastos discricionários não relacionados à defesa aos níveis de 2023 por um ano, e posteriormente aumentá-los em 1% em 2025.

Tesouro dos Estados Unidos

Isso ocorre apenas algumas semanas após a secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, ter alertado sobre o risco de inadimplência em 1º de junho. Caso o limite da dívida não seja suspenso ou aumentado, e ela instou o Congresso a agir rapidamente.

Além disso, em 12 de maio, o Congressional Budget Office dos EUA divulgou um relatório enfatizando . Neste diz  que se o limite da dívida permanecer inalterado, há um risco significativo de que, durante as duas primeiras semanas de junho, o governo não seja capaz de pagar todas as suas obrigações.

Recentemente, vários analistas têm expressado a opinião de que o aumento do teto da dívida pode levar a um aumento de capital direcionado ao Bitcoin.

Em 17 de maio, MacroJack, um ex-operador de Wall Street, compartilhou um tweet alertando seus seguidores de que as negociações em torno do limite da dívida dos Estados Unidos são “apenas uma exibição”.

Em suma Ele ressaltou a importância de possuir ativos tangíveis, prevendo que o dólar seria “desvalorizado pela impressão excessiva de dinheiro”. MacroJack afirmou que o Bitcoin é o “cavalo mais rápido na corrida”.

Enquanto isso, Jesse Myers, diretor de operações da empresa de investimentos Onramp, lembrou seus 50. 100 seguidores no Twitter sobre os eventos durante a pandemia de COVID-19, afirmando que o Bitcoin foi o “vencedor” durante a última rodada de estímulos econômicos.

Ele sugeriu a possibilidade de que a história pudesse se repetir se o limite da dívida aumentasse. Sendo assim levaria o Federal Reserve a imprimir mais dinheiro.

Twitter

Instagram

Para mais notícias relacionadas a criptomoedas, acesse nosso site