Neuralink

Foto do autor

joao

Publicado em

A empresa Neuralink, fundada por Elon Musk, teria obtido aprovação da Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos para realizar testes de natureza avançada em seu dispositivo implantado no cérebro, conhecido como interface cérebro-computador (BCI).

Atualmente, não está claro qual é a natureza dos testes mencionados no tweet da Neuralink. A única informação adicional fornecida é que a empresa não está atualmente aceitando candidatos.

No início de 2022, a Neuralink teve seu pedido de aprovação do FDA negado para conduzir testes em humanos. Isso ocorreu devido a várias preocupações relacionadas à segurança, que a empresa estava trabalhando para resolver naquela época.

A aparente mudança de posição do FDA sugere que essas preocupações foram abordadas e que a empresa agora pode prosseguir com testes limitados de seu dispositivo BCI implantado cirurgicamente.

Elon Musk explicou que o BCI (Interface Cérebro-Computador, na sigla em inglês) terá a função de auxiliar no tratamento de certos problemas médicos e de mobilidade. BCIs é para tratar várias condições, como epilepsia, e também oferecem benefícios para melhorar a qualidade de vida de pessoas com deficiência. Por exemplo, esses dispositivos permitem que os usuários controlem o cursor do mouse com o movimento dos olhos ou pensamentos.

Além disso, Musk afirmou que o dispositivo será desenvolvido para uso geral do público como um BCI, permitindo que os seres humanos interajam com máquinas por meio de pensamentos e, assim, nos protejam de sermos substituídos por máquinas.

Neuralink

Até o momento, a Neuralink só havia obtido autorização para realizar experimentos em animais de laboratório, como macacos e porcos. No entanto, a empresa enfrentou recentemente uma investigação federal devido a alegações de maus-tratos a animais. A Neuralink negou qualquer irregularidade e parece que a investigação foi encerrada discretamente. Há também uma investigação em andamento sobre o transporte supostamente contaminado dos dispositivos.

Com a possibilidade de testes em seres humanos, a visão de Musk de criar híbridos entre humanos e inteligência artificial (IA) está mais próxima. Portanto, agora pode ser o momento para desenvolvedores e empreendedores começarem a explorar as aplicações e casos de uso de uma BCI implantada cirurgicamente para fins recreativos.

BCIs

Musk também sugeriu que os BCIs permitiriam que as pessoas controlassem seus smartphones com a mente. Assim sendo mais rápidos do que usar seus polegares.

No entanto, um dos casos de uso potencialmente mais fascinantes para as comunidades de criptomoedas e blockchain surge da Microsoft.

De acordo com um dos pedidos de patente:

“Por exemplo, uma onda cerebral ou calor corporal emitido pelo usuário quando ele executa a tarefa fornecida por um provedor de informações ou serviços, como visualizar anúncios ou usar determinados serviços da Internet, pode ser usado no processo de mineração”.

Com uma Interface Cérebro-Computador (BCI). Semelhante à descrita no trabalho de pesquisa original da Neuralink e um modelo conceitual como o mencionado na patente da Microsoft. No entanto é teoricamente viável autenticar as ondas cerebrais de forma nativa, permitindo a verificação da “prova de trabalho” apenas por meio do pensamento.

Twitter

Instagram

Para mais notícias relacionadas a criptomoedas, acesse nosso site